Amigos

sexta-feira, 20 de abril de 2018

UM HOMEM

Apenas um homem...
Riscos, frágeis papéis
de sombras  iludidas.
Amor ou desamor,
no pranto que se expõe - feridas.
O que se quis, o que se perdeu.
O que ficou para trás.
No tempo das "auroras boreais"...
- Lindo reflexo das ilusões perdidas.

Um dia abriu os olhos d'alma e sentiu
que nem sempre foi verdade o que
ele viu ou havia visto
com tamanho empenho...
e que das coisas mutantes todo o tempo
restou areia de ouro  sem pepitas.

Cruzou os braços.
Fechou o coração no peito.
Abriu as asas do seu pensamento.
Sonhou ser pássaro.
Voou no espaço
abrindo rumos,
rompendo brumas,
criando auroras no seu firmamento.


Guaraciaba Perides



Apenas  um   homem   que  sonhou  ser  pássaro

quinta-feira, 5 de abril de 2018

COMO UMA PIPA AO VENTO...

Quando  penso
Paro o tempo
Perco o espaço
Sou só pensamento.
Entro  na  esfera
do mundo interior
que  chamo  de meu...
Construo paisagens e 
campos  de flores,
planícies  e  abismos,
caminhos  e pontes;
Faço  chover  e  faço sol
a meu contento.
Quem sabe  vento!
Circulo  em   alma
para o infinito,
pulo as  fronteiras
do espaço  e tempo...
Vou ver da lua 
o por  do sol,
vou ver da Terra o seu azul,
de qualquer  canto.
Tudo é  possível...em meu projeto
em  andamento.
Nesse circuito,  aqui  e  ali,
encontro  outros que esbarram   em  mim;
Mas,  somos  sós, 
não  vamos juntos,
pois a emoção, em toda linha,
não se transfere,  não  se condensa.
É livre pensar, é  só pensar-
galgar  montanhas ou navegar
com velas pandas-  em  qualquer  mar...
Só há  de cuidar, do  entretanto,
e  calcular  do  ledo   engano...
Pois passo em  falso,  não  se  admite,
deixar de ser,  não  pode  ser...
Pois que,
 se perde  o  raciocínio,
Acaba-se  o jogo.
sem mais,  nem  menos...e
Vamos voar como  uma  pipa  ao  vento...


Guaraciaba   Perides 





sábado, 24 de março de 2018

OUVINDO VOZES

Fecho os olhos, ouço vozes
vozes que contam, que cantam, que riem...
Em outros espaço ecoam.
Ouvi-las  aquece  minha  alma,
transborda  no coração...
É ainda manhã,  ainda deitada,
lá embaixo eu ouço;
minha filha argumenta, 
o pai que responde,
diálogo feito de  ali para cá...
Eu sinto , de manso, uma confiança boa,
da vida que segue, de muito de dar e
também receber...
Às vezes na  sala,  em tempo de espera,
reflito da vida o que ela possui;
Então, ouço vozes dos filhos,
contando seus feitos, seus erros e
também seus acertos.
São vozes que chegam através  das paredes
e que logo ecoam em riso alternado...
E eu sinto de novo em  minha  alma o alento,
de tudo estar certo e novamente me aquieto...
Daí, que me lembro de vozes antigas,
em  outros espaços, também de cantigas.
De quando em criança, em meu próprio recanto,
ouvia do quarto as vozes da sala;
Adultos brincando, jogando, cantando,
os avós e os tios, meus pais e os amigos,
contando seus feitos e suas histórias...
Somente dos sons que eu ouvia,
nem sempre entendia...
Mas, só de  ouvi-los ficava tranquila
e  fechando os  olhos de repente dormia.
Os sons dos cantores vibravam no rádio,
no disco e na vida...
e ainda eu ouço com muita frequência,
cantigas e cantos de tantos artistas...
Presentes ainda, nos dias de hoje,
no tempo do agora, figuras de luz,
que mesmo tão longe, 
mantém suas vozes em ondas no espaço,
que ecoam seus sonhos, amores ou mágoas,
encantando  a todos que ainda se lembram
de toda a magia da arte dos sons...
Benditas as vozes que fazem da vida
um lugar de carinho..
das bençãos dos pais, dos amigos e irmãos;
permanecem para sempre num recanto encantado,
guardado bem dentro, do meu coração.

Guaraciaba Perides

Canta   Mercedes Sosa "canción de las simples cosas"

 porque as simples coisas , as devora o tempo...


quarta-feira, 14 de março de 2018

REAL OU FANTASIA...

O pensamento obstinado pede sonho
Sonho que recria um novo alento
O que se tem, se tem,
e o que não se tem, se inventa.
Pois, assim é o viver do ser,
real  ou  fantasia...
Heróis de ontem
Mitos pretéritos
Façanhas  hercúleas
Fazem a História...
E a Humanidade caminha  em saltos
entre o Monstro Sagrado e
o Sagrado - Profano...
Por que não se pode alimentar
o que se quer ou pode através
do simples sonho?
O abstrato mais que puro pensamento
faz a síntese do engano...
Somos assim, um pouco de nós é sonho...
e a perfeição que nos persegue nos transforma
em viajantes do maravilhoso.
A vida  humana  em perfeição existe sim...
no Mito.
Mas   desconfio que pode ser...quem sabe...
muito mais do que se tem ou pede!

Guaraciaba   Perides

ETERNO APRENDIZ      canta Gonzaguinha


sábado, 3 de março de 2018

O EU PERCORRENDO O TEMPO

O  Eu percorrendo  o Tempo
O  Tempo passando por  mim
Juntos  passamos  pela Vida,
brincando, sonhando, sofrendo,
amando...vivendo, enfim!
Alguns momentos limites,
outros marcando memórias,
opacos outros tantos...
Vivências e descobertas,
verdades  e mentiras,
ilusões que se desdobram
em outras  faces.
Surpresas do bem
de onde nada se esperava,
amizade perdida que seria
aquela para  toda  vida...
e aquele  outro  amor p'ra sempre
que revelou-se fogo fátuo,
nada mais...
Esboços continuados de paisagens
transformam-se e misturam-se
na memória,
de tempos que se alternam
embora sendo Um.
Estradas que se abrem,
casas que desabam,
outras se levantam...
Rios se represam em lugares esquecidos.
Alguns velhos monumentos permanecem,
mudos testemunhos de outras histórias...
Crianças nascem, crescem e multiplicam-se
e em cada uma delas,
o Eu e  o  Tempo
avaliam-se mutuamente e
eternamente permanecem...
O Eu  o   Tempo,
o Eu e o meu tempo,
como se houvesse para cada um de nós,
o tempo de sua própria história.
Juntos, contemporâneos, avaliamos
nossos  próprios tempos,
e em cada um de nós,
ele faz  a  alquimia de  ser Um,
na infinita  possibilidade de  ser  tantos...

Guaraciaba Perides


A Estrada  e o Violeiro música de Sidney Miller   com MPB4 e quarteto em  Cy





Quem  sabe de  si
Sabe de mim
Pois somos flores
do mesmo  Jardim...

domingo, 25 de fevereiro de 2018

MENINOS E MENINAS... como nós fomos um dia...


Meninos brincando na rua
pelada com bola de meia;
outras bolinhas de gude,
almejadas rolando no chão...
Piões rolando sem fuso,
figurinhas enroladas em balas,
que se disputavam no 'bafa'-e
na  palma da mão...
Meninos de antigamente
empinando pipas  ,fabricando
rabiolas, sonhando cataventos.
 Meninas que suspiravam..
com chá de bonecas e fitas;
papéis de cartas coloridas,
perfumadas , debruadas
de flores e corações...
Sonhando sonhos de amor
e com príncipes encantados
que muitas  vezes eram apenas
meninos da casa  ao lado...
Dançando como bailarina ou
jogando 'amarelinha'...
rodando com a bicicleta
segurando com uma só mão...
Vamos brincar de 'madames'
com bolsas velhas da mãe...
E antes que a gente cresça.
vamos "passar o anel"
para ver se a 'escolhida'
ganha um pedaço de céu.
Meninos, meninas, de antigamente...
Como nós fomos um dia
brincando  como se a vida
fosse um jogo de faz de conta.
E que afinal, o que seria
aquilo que se queria....
senão recolher prazeres
brincando de se viver.


Guaraciaba Perides
Música de Ataulfo Alves   cantada por Noite Ilustrada




Quadro de Portinari...Arte Viver

Meninos e Meninas  ...como eu , como você...


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

O SOL JÁ DÁ ADEUS!

Banhado em luz  o alpendre
dá  adeus ao sol  que se despede...
e debaixo da janela
magnólias soltam seus perfumes.
Mais algum tempo e aparece a
Estrela d'Alva trazendo esperanças
no  verão da noite...
Na melancolia de mais um dia findo
pensamentos errantes,
pretéritos quase que perfeitos.
Gira a roda do tempo
moendo sonhos e
transformando em pó
lembranças e destinos...
Os pássaros já descansam
em seus ninhos...
um manto  azul escuro cobre a terra
e eu ,
na varanda secular de um outro tempo
canto uma canção de outra era...

Lembro, então, do teu perfume Magnólia...
Do teu jeito delicado,
das luzes de seda com que vestias
as tuas pétalas macias.
Do  teu perfume intenso
e do teu porte sedutor,
com os quais enlouquecias
a brisa...assim que a noite
caía .
Quando  a lua apontava no céu,
sob a prata do luar
eras tu que resplandecias...
Bailavas suavemente ao som
da água da fonte
que ao teu lado fluía...
Eras só  um alumbramento,
pois em tua essência intuías,
 da  tua breve existência ...
Sendo  por certo a passagem,
de um momento  da POESIA...


Guaraciaba Perides

"Noite cheia de estrelas"  de  Cândido das Neves...cantando António Azambuja




Magnólia  é o teu nome 
Cognome Maravilha!